Negócios

Comprar errado x vender certo

Nós, muitas vezes, não nos atentamos para o que compramos cotidianamente, adquirindo produtos e contratando serviços de forma impensada e sem vínculos com os resultados almejados.

No transporte, por exemplo, efetuamos um alto investimento: compramos mão de obra, serviços de transportes de empresas terceiras (coleta e entrega), agregados, espaços físicos em armazéns, veículos, softwares, rastreadores, serviços contábeis, roteirizadores, balanças, esteiras, etc. Nesse sentido, os gastos e esforços empregados devem ser muito bem pensados e planejados, de modo a assegurar o sucesso futuro.

Quando o negócio ainda está no início, os erros podem ser facilmente diagnosticados e corrigidos, pois o tamanho da operação ainda permite um olhar mais próximo, atento e focado.

O grande problema, contudo, está no momento em que o negócio começa a ganhar corpo. Nessa fase, é crucial a definição e avaliação dos resultados, já que os rumos que a Organização vai tomar e o crescimento que advém daí são determinados pelas receitas. Logo, analisar as despesas isoladamente não é recomendável e pode acarretar em perdas irreparáveis.

Entretanto, não basta olharmos somente para o que faturamos: é necessário canalizarmos as nossas forças nos resultados. De fato, às vezes faturar menos e ter um resultado aceitável é melhor do que faturar mais alcançando resultados pífios, inexpressíveis ou inexistentes.

Ter um olhar voltado às compras, adotando critérios e políticas que favoreçam os resultados, precisa ser uma prática usual e compatível com as margens obtidas.

Para que essa conta se torne atrativa, precisamos nos apoiar em recursos tecnológicos que nos suportem nas atividades realizadas, sendo imprescindível saber quanto custa tudo antes de comprar. Não podemos ser meros pagadores de faturas, precisamos ter análises críticas que nos ajudem na tomada de decisão, perguntando-se, por exemplo:

• O valor pago aos parceiros está compatível com a receita que vem sendo produzida?
• Quanto está custando a coleta deste determinado Cliente?
• O valor pago na entrega é compatível?
• O valor de todo o processo de transporte é o ideal para este faturamento?
• A margem que o transporte está produzindo é o suficiente para sustentar o negócio?

As questões acima aventadas não esgotam o assunto, pois a complexidade do tema abordado nos levam a pensar em tantas outras, mas já nos servem como reflexão para o entendimento do propósito desse texto.

Assim, uma das formas mais eficiente de cuidar a tempo dessas questões é ter no software TMS (Transportation Management System) um competente meio capaz de te ajudar a produzir os melhores resultados, gerando, com certeza, melhores oportunidades de sucesso para a sua transportadora.

Comprar e vender certo: simples de entender, mas complicado de fazer.

Para encerrar esse texto, trago uma frase que em muito agrega à reflexão proposta, versando sobre o constante aperfeiçoamento que devemos buscar: “Deus perdoa sempre, os homens às vezes, a natureza nunca”.

  • 25.07.2017

busca