Negócios

A rentabilidade na carga fracionada

Receita máxima, prazos e custos mínimos. Se você atua na área de transporte de carga fracionada, sabe muito bem que estes são alguns desafios diários.

consolidação de cargas,  item mais relevante entre as variáveis  no controle desse segmento, deve ser 100% gerenciada por meio de indicadores que contribuirão para sustentar esse tipo de negócio.

As distâncias entre origem e destino; atividades envolvidas no percurso como coleta, transferência ou cross-docking; especificidades de manuseio da carga e as “urgências” estão diretamente relacionadas à precificação do serviço. Portanto, erros por falta de conhecimento ou controle nesses processos são suficientes para gerar atrasos, retrabalhos e prejuízos.

Confira abaixo o que fazer para garantir a rentabilidade e não perder o controle sobre a sua operação de transporte de carga fracionada.

#Gestão de custos

Nunca é demais lembrar que manter uma visão 360º do próprio negócio impacta positivamente na boa gestão e rentabilidade de uma transportadora. No setor, a tecnologia tem se apresentado como facilitadora no controle de despesas, investimentos e custos de transportes de carga fracionada. A tarefa pode se tornar ainda mais promissora se a transportadora puder realizar simulações por meio de software, contar com a previsão de cenários e proporcionalizar os custos de transporte a cada cliente envolvido na consolidação de carga.

#Gestão total de volume

Outro ponto crítico e que pode impactar na rentabilidade de toda a operação é a utilização de ferramentas de gestão de volume. Quando realizada de forma eficiente, como o uso de códigos de barras, os ganhos são evidentes:

  • Redução dos ciclos de processamentos
  • Aumento das taxas de output
  • Aumento na precisão das informações
  • Redução de perdas com materiais
  • Agilidade na captura de dados
  • Rápido acesso às informações.

Integrada com sistemas de TI, as informações dos códigos de barras tornam-se fundamentais para o rastreamento eficiente de cargas e o consequente controle de despesas.

#Tratamento de ocorrências

Os custos envolvidos no tratamento de ocorrências, ou seja, quando uma entrega não é realizada com sucesso, podem gerar prejuízos quando não gerenciadas de forma correta.

Se não houver um atendimento adequado, ou se a transportadora não informar a tempo os motivos que fizeram com que a entrega não se realizasse, a credibilidade da transportadora pode ser prejudicada causando possíveis perdas financeiras.

Mais uma vez, o controle sistêmico ocupa um papel de destaque, permitindo uma previsibilidade que garante a tomada de decisões a fim de  evitar perdas e potencializar ganhos.

#Gestão da informação

Além dos pontos acima, quem lida com o transporte de carga fracionada e não deseja ser surpreendido com prejuízos, ainda deve se preocupar em manter o status em tempo real de todas as informações envolvidas na cadeia. O controle sobre os roteiros de entrega, por exemplo, é uma forma inteligente de conseguir ganhos pontuais e aumentar ou manter a rentabilidade esperada ao longo de todo o transporte.

planejamento e a integração nos processos são grandes aliados na previsão de cenários e redução de custos. Apostar em ferramentas que ajudam a manter a vigilância sobre as operações e contar com parceiros capazes de ajudá-lo neste desafio, certamente pode impactar na preservação de outros valores importantes para a sua empresa de transportes, que vão muito além do simples ato de carregar e descarregar caminhões.

  • 17.12.2018

busca